quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Agenda 2010



Pode agendar. O melhor show de 2010 em Blumenau já tem data: 13 de março.
POUCA VOGAL se apresentará na cidade.
Imperdível!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

CAMPEÕES

Os campeões de 2009:

Taça Brasil masculino: ACBF- Carlos Barbosa
Liga Futsal masculino: ACBF- Carlos Barbosa
Liga Futsal Feminino: Unochapecó-SC
Campeonato Catarinense: Krona/Joinville/Dalponte
Campeonato Gaúcho: ACBF- Carlos Barbosa

PAZ !!

EM PAZ
Humberto Gessinger


Há quem faça as contas
Há quem vá as compras
Quando mais um ano chega ao fim
Hora de escrever cartões
Hora de rever os planos
Mais um ano chega ao fim

Que venha em paz o ano que vem, que venha em paz o que o futuro trouxer

Cai a neve nas vitrines
e a gente derrete ao sol
Desse natal tropical
Os cachorros da vizinhança vão latir
Sob os fogos de artifício
Pensarão que é fim e será só o início

Que venha em paz o ano que vem
que venha em paz o que o futuro trouxer

Há quem ignore o calendário
Há quem fique de olho no horário
Quando mais um ano chega ao fim...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Interessante

REDAÇÃO QUE VENCEU CONCURSO DA UNESCO




"Como Vencer a Pobreza e a desigualdade"


REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES

Imperdível para amantes da língua portuguesa, e claro também para Professores. Isso é o que eu chamo de jeito mágico de juntar palavras simples para formar belas frases. REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES

Tema:'Como vencer a pobreza e a desigualdade'
Por Clarice Zeitel Vianna Silva
UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - RJ


'PÁTRIA MADRASTA VIL'
Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência. .. Exagero de escassez... Contraditórios? ? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.
Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.
O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições.
Há quem diga que 'dos filhos deste solo és mãe gentil.', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil.
A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira'. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra.... Sem nenhuma contradição!
É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!
A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.
Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)... Mas estão elas preparadas para isso?
Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.
Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos.
Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente.... Ou como bicho?





Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel, de 26 anos, estudante que termina faculdade de direito da UFRJ em julho, concorreu com outros 50 mil estudantes universitários.
Ela acaba de voltar de Paris, onde recebeu um prêmio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) por uma redação sobre 'Como vencer a pobreza e a desigualdade'

A redação de Clarice intitulada `Pátria Madrasta Vil´ foi incluída num livro, com outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da UNESCO.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Florianópolis vence Krona e adia decisão do Catarinense de Futsal

Felipe Albertoni
felipe.albertoni@rbsonline.com.br

O Florianópolis conseguiu o que poucos esperavam e derrotou a Krona por 2 a 1 no início da noite desta quinta-feira, dia 17, no Centreventos Cau Hansen, em Joinville. Foi a segunda partida da final do Catarinense de Futsal. A equipe da casa, que havia vencido a partida de ida, na Capital, por 5 a 0, chegou a sair na frente do placar com um gol de André na primeira etapa. Os visitantes, porém, lutaram muito e conseguiram a virada com dois gols de Marino.
A vitória do Florianópolis, diante de cerca de quatro mil torcedores que compareceram para apoiar a Krona, faz com que o título seja decidido em jogo-extra, às 21h desta sexta-feira, dia 18, novamente no Centreventos Cau Hansen.

O jogo

Ao contrário da partida ida, em que foi dominado pelo futsal superior da Krona, o Florianópolis entrou em quadra nesta quinta-feira bastante concentrado na marcação, anulando as principais jogadas de ataque dos joinvilenses. A equipe da casa tentou utilizar a mesma estratéria do primeiro jogo: explorar os contra-ataques. E foi assim que saiu o gol que inaugurou o marcador: André saiu rapidamente da quadra de defesa e tocou entre as pernas de Djoni, na saída do goleiro do Florianópolis.
Atrás no marcador, o time da Capital não desanimou. Trocou passes com paciência em busca de espaços, ainda que a Krona levasse perigo em eventuais contra-golpes. Mas a pressão surtiu efeito: na metade da primeira etapa, Djoni avançou e bateu forte, Quinzinho deu rebote e Marino completou para as redes.
A Krona tentou passar à frente novamente em chute forte de Thales, mas Djoni apareceu bem para salvar os visitantes. Mesmo com o jogo empatado, o time de Joinville seguiu insistindo em postar-se na defesa em busca do contra-golpe, o que se mostrou infrutífero até o final do primeiro tempo.

Segunda etapa
A partida recomeçou muito nervosa, com ambos os times cometendo diversas faltas logo nos minutos iniciais. Junai perdeu a primeira grande chance para a Krona, chutando em cima de Djoni cara-a-cara com o goleiro. Um minuto depois, o feitiço virou contra o feiticeiro: contra-ataque veloz do Florianópolis, e Marino apareceu livre na esquerda para tocar no cantinho do goleiro Quinzinho.
A virada nitidamente abateu a Krona, que passou a atacar de forma desordenada. Em um lance logo após o segundo gol de Marino, Quinzinho tentou a batida do meio da quadra; Djoni defendeu e arriscou o chute da própria área, quase encobrindo o arqueiro adversário. Muitos erros de passe complicaram a vida do time de Joinville, e a torcida local foi perdendo a paciência.
Quinzinho ainda evitou boas chances do Florianópolis, e Marino quase marcou o terceiro dele no jogo ao chutar para fora com o gol vazio. As melhores oportunidades da Krona de empatar vieram em chutes de longe de Thales, mas Djoni, atento, evitou o segundo gol. O desespero do time da casa foi a tônica do final da partida, e o Florianópolis conseguiu segurar a vitória até o final.

Fonte: CLICESPORTES

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Divisão Especial de Futsal

A Krona ignorou o fato de jogar fora de casa e atropelou o time de Florianópolis nesta terça-feira, dia 15, vencendo a primeira partida da final do Catarinense de Futsal por 5 a 0. Mesmo atuando no ginásio do Sest/Senat, na Capital, a equipe da casa esbarrou na defesa bem postada dos joinvilenses e não conseguiu converter as chances que criou em gols.
Explorando muito bem os contra-ataques, a Krona construiu o placar com tranquilidade: Murilo, Lukaian e Thales marcaram na primeira etapa, e Lukaian (outra vez) e Marcelinho fecharam a goleada no segundo tempo. O jogo de volta será às 19h desta quinta-feira, dia 17, no Centreventos Cau Hansen, em Joinville. A Krona entra em quadra precisando apenas no empate para sagrar-se campeã catarinense 2009.
O jogo
Apesar da presença do goleiro Wilson, do Figueirense, a torcida local não compareceu em grande número para apoiar o time da Capital. Com a presença de diversos torcedores que vieram de ônibus de Joinville para acompanhar o jogo, a Krona parecia se sentir em casa desde início do confronto.
Florianópolis começou pressionando nos primeiros minutos, mas logo ficou claro que isso fazia parte da estratégia da Krona de explorar os contra-ataques. Ainda assim, Marino perdeu grande oportunidade de abrir o placar para o time local, cara-a-cara com o goleiro Quinzinho. Logo em seguida, o mesmo Marino sofreu falta duríssima de Marcel, que levou cartão amarelo.
Após conseguir equilibrar as ações do jogo, a Krona abriu a contagem em uma bobeada do goleiro Djoni: ele perdeu a bola no meio da quadra e Murilo, esperto, roubou a posse e avançou para completar para o gol vazio. Lukaian aumentou o placar soltando uma bomba, depois de bola rolada em cobrança de falta. O time de Joinville ainda marcou o terceiro no primeiro tempo com Thales, em rápido contra-ataque.
Segunda etapa
O time da casa voltou tentando pressionar, e chegou a desperdiçar boas chances de diminuir, mas Quinzinho sempre apareceu bem. Com dificuldades para criar jogadas de ataque, Florianópolis insistia nos chutes de longe do goleiro Djoni, que invariavelmente criavam lances de perigo no contra-ataque para a Krona. E foi assim que saiu o quarto gol: Djoni chutou de longe; a bola rebateu e caiu nos pés de Lukaian, que chutou bem para encobrir o adiantado arqueiro.
A equipe da Capital nitidamente desanimou em quadra, e a Krona passou a trocar passes com tranquilidade aguardando o final do jogo. O técnico Valci Moreira, do Florianópolis, tentou incentivar os comandados a continuarem atacando, mas a bola teimava em não balançar as redes da Krona. No final, Thales ainda teve tempo de puxar um rápido contra-ataque e rolar para Marcelinho fechar o placar em 5 a 0.

Fonte: CLICESPORTES

domingo, 13 de dezembro de 2009

POUCA VOGAL + NENHUM DE NÓS

Já está disponível na região duas excelentes opções pra quem curte o bom e velho rock.
NENHUM DE NÓS - Paz e Amor
O cd resgata o show da turnê "paz e amor" de 2002, acompanhado de 3 faixas inéditas.

POUCA VOGAL
O dueto Humberto Gessinger (Engenheiros do Hawaii) + Duca Leindecker (Cidadão Quem) é algo que impressiona até quem não curte o gênero. A atuação da dupla neste cd/dvd rompe barreiras. À lamentar apenas o fato de Gessinger estar tão empolgado com o projeto a ponto de declarar que os Engenheiros continuarão "dando um tempo" em 2010.

Abraço.

FINAIS

ACBF é heptacampeã do Gauchão de Futsal
Time de Carlos Barbosa bateu a Assoeva por 6 a 1 na decisão

A ACBF recebeu neste sábado a Assoeva para a segunda partida da final do Gauchão de Futsal. O confronto, que teve início às 9h, no Centro Municipal de Eventos de Carlos Barbosa, foi acirrado. O time da casa precisava apenas de um empate para levantar a taça. Já a Assoeva precisava vencer no tempo normal para levar a decisão para a prorrogação.
No primeiro tempo, a ACBF foi mais ousada e venceu a Assoeva por 3 a 1. Na metade do segundo tempo, o time da casa marcou um gol de pênalti. Em seguida, a torcida foi a loucura com mais um gol da ACBF. Faltando praticamente quatro minutos para terminar a partida, Carlinhos marcou o sexto gol para o time de Carlos Barbosa. O jogo terminou com 6 a 1 e a ACBF conquistou pela sétima vez o título do Gauchão de Futsal.

Krona e Malwee decidem semifinal do Catarinense de Futsal neste domingo
Time de Jaraguá do Sul joga pelo empate no tempo normal

É tudo ou nada. Neste domingo, dia 13, diante da torcida, a Krona joga sua última ficha na temporada. Precisa vencer a Malwee no tempo normal e pelo menos segurar o empate na prorrogação para garantir um lugar na decisão do Campeonato Catarinense de Futsal, contra o já classificado Florianópolis. A partida será disputada no Centreventos Cau Hansen, em Joinville, às 17h.
Problemas não faltam para o técnico Paulo Cardoso: Frede, machucado, além de Lukaian e André, suspensos, desfalcam a equipe. Com isso, a Krona atuará sem um pivô. Para superar a falta de um homem de referência próximo ao gol da Malwee, o treinador passou a semana buscando alternativas:
— Não podemos reclamar de não ter este ou aquele jogador. Temos de nos adaptar às circunstâncias e conseguir o resultado — enfatizou.
A boa notícia é o retorno de Fernando. O ala cumpriu suspensão na derrota na partida de ida por 3 a 1, em Jaraguá do Sul:
— Temos a obrigação de ganhar. Teremos a vantagem do empate na prorrogação e vamos jogar diante da torcida. Precisamos da vitória — avisa o jogador.
Essa será a última chance do time joinvilense erguer uma taça neste ano. Mesmo com boa campanha na Liga Futsal, a equipe foi eliminada nas quartas-de-final. Também caiu na primeira etapa dos Jogos Abertos, e perdeu a decisão do Sul-americano para a Malwee.
Malwee vai completa
A Malwee/Cimed não tem problemas. "Time completo", avisa o técnico Fernando Ferretti , aliviado. Afinal, nas últimas competições, escalar a força máxima foi algo raro. As contusões de Falcão e Lenísio foram as mais sentidas, na final da Liga Futsal e na Taça Brasil. Os dois estão confirmados, como já ocorreu no primeiro jogo.
A única dúvida era o pivô Chico, que tinha tratamento de joelho agendado:
— Após uma conversa com a comissão técnica, a gente resolveu protelar a cirurgia para depois da partida com a Krona — comentou o atleta.

O quê: Krona x Malwee pela semifinal do Campeonato Catarinense de Futsal.
Quando: neste domingo, às 17h.
Onde: Centreventos Cau Hansen (Joinville).
Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (estudantes e aposentados).
A bilheteria do Centreventos vai abrir às 14h de domingo. Os portões serão abertos às 15h30min

Fonte: www.clicrbs.com.br

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

ENGENHEIROS DO HAWAII

De acordo com Humberto Gessinger, durante o programa "Pijama Show" da rádio atlântida, o retorno do principal grupo de Rock Nacional só deve acontecer em 2011.
Isto porque o projeto para 2010 é seguir com o dueto Pouca Vogal.

domingo, 29 de novembro de 2009

Carlos Barbosa conquista a Taça Brasil de Clubes

*Beto Costa/CBFS

Carlos Barbosa ficou com o título da competição
Cascavel (PR) - Depois de oito anos a equipe do Carlos Barbosa voltou a conquistar a Taça Brasil de Clubes. O time gaúcho chegou novamente ao topo da mais tradicional competição do futsal mundial, disputada desde 1968, ao vencer a forte equipe do Tigre/Natto, de Pernambuco, na decisão pelo placar de 7 a 6 nos pênaltis, depois de um empate em 2 a 2 no tempo normal e de 1 a 1 na prorrogação.
Com isso o time comandado pelo técnico Paulo Mussalem chegou ao seu segundo título na Taça Brasil, competição que havia vencido no ano de 2001, quando o título foi dividido com o Sumov (CE). Foi o fechamento de um ano nacionalmente ótimo para o Carlos Barbosa, que havia conquistado também a Liga Futsal 2009, principal campeonato do salonismo nacional.

O jogo
Logo em seu primeiro ataque a equipe do Tigre conseguiu a abertura de placar. Em rápido contra golpe pelo meio a bola foi passada para Carlos que recebeu pela esquerda de ataque e bateu no contra pé do goleiro Bilica, que tentou sair para fechar o ângulo. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.
O Carlos Barbosa foi ao ataque, mas não encontrou facilidade para entrar no sistema defensivo da equipe pernambucana, que se fechava bem e impedia as infiltrações gaúchas. Quando teve a chance real de empate, Rodrigo, da ACBF, avançou livre pela esquerda e bateu, para grande defesa do goleiro Laga.
A pressão gaúcha continuou e logo o time de Carlos Barbosa conseguiu chegar ao empate. Em escanteio pela esquerda, Sinoê cobrou com velocidade e Jé, na área pernambucana, se antecipou a um marcador e bateu de bico, vencendo o goleiro Laga e igualando a contagem.
Pouco depois o Carlos Barbosa chegou ao seu segundo tento. Bilica recebeu passe de recuo e lançou a bola de sua área, encontrando Jé livre na área adversária. Com uma cabeçada para trás, o atleta da ACBF deslocou o goleiro pernambucano, que nada conseguiu fazer.
Com a virada no placar o Carlos Barbosa passou a se resguardar um pouco mais, levando a vantagem mínima para a segunda etapa. No período complementar, o jogo começou equilibrado, sendo que a equipe pernambucana voltou mais ofensiva e, por pouco, não empatou em chute de Juninho, que Bilica se esticou para defender.
Laga, goleiro do Tigre, também experimentou o goleiro gaúcho com um forte arremate, mas Bilica foi bem na defesa. O jogo, a partir desse momento, ficou aberto e as duas equipes passaram a buscar o ataque mutuamente. Com isso Laga e Bilica passaram a ter trabalho dobrado na partida.
No final a equipe do Tigre/Natto pressionou muito a ACBF, utilizando o goleiro-linha. Acuado, o Carlos Barbosa conseguiu segurar o placar até o último minuto de partida. Mas quando faltavam 23 segundos para o final do jogo, depois de um bate rebate na área gaúcha, Carlos apareceu livre para empatar o jogo.

Tempo extra e Pênaltis

Na prorrogação o Carlos Barbosa logo partiu para o ataque e marcou seu gol. Goda fez boa jogada pelo meio e lançou Flávio pela direita. O pivô pegou de primeira, acertando o canto esquerdo do goleiro Laga. Mas no segundo tempo da prorrogação o Tigre chegou ao empate novamente. A bola veio cruzada da direita e Carlos apareceu livre para marcar seu terceiro gol na partida.
Mesmo com muita movimentação ofensiva os dois times continuaram buscando a vitória até o final da partida. Mas o placar permaneceu e os times foram para a decisão por pênaltis e quem se deu melhor foi a equipe do Carlos Barbosa, que venceu por 7 a 6, com Bilica sendo o herói ao defender a última cobrança pernambucana.

Fonte: www.futsaldobrasil.com.br

Resultados

Tabela De Jogos
Categoria Sub 14
J Data Hora Equipe A X Equipe B
01 28.11 08:15 METISA 02 X 04 ADESC/ SCHROEDER
02 28.11 08:40 APAMA 03 X 00 COL. FREI POLICARPO
03 28.11 09:15 METISA 02 X 05 APAMA
04 28.11 09:40 FREI POLICARPO 04 x 00 ADESC/ SCHROEDER
05 28.11 10:15 APAMA 03 X 03 ADESC/ SCHROEDER
06 28.11 11:00 METISA 07 X 01 COL. FREI POLICARPO

sábado, 28 de novembro de 2009

Estrangeiros entrevistam Humberto Gessinger

By Os Estrangeiros

Humberto Gessinger de alguma forma está por trás deste blog. Tudo começa quando em alguma esquina do acaso a gente topa com uma canção e descobre que – sim! – mais alguém sente a mesma estrangeirice que você e, além disso, consegue fazer a vida girar em torno dela. Entrar no palco impregnado sempre pelo mesmo brilho, apesar da batalha diária e autônoma de levantar e sempre revigorar seu nome como músico e compositor é algo que não nos deixa esquecer o quanto é importante acreditar nas nossas visões e batalhar por elas.
Mas esse Humberto do parágrafo acima vocês todos conhecem. Fomos até ele para descobri outras facetas do eterno alemão-dos-Engeheiros-do-Hawaii. O resultado desmitifica o trabalho de músico estradeiro e apresenta um fotógrafo amador preocupado em não espantar as cenas com sua câmera.

Muitos músicos dizem que para uma banda perseverar é fundamental gostar de viajar, de pegar a estrada. Essa vontade de estar em trânsito te influenciou na hora de montar uma banda como a Engenheiros do Hawaii, ou o duo Pouca Vogal?
Viajar é preciso. Daí para gostar de viajar, já vai uma distância. Antes das bandas eu tinha viajado muito pouco. Prefiro chegar nas cidades à noite, no ônibus da banda. Chegando de avião, me sinto turista ou executivo. Chegando de madrugada , no ônibus, me sinto Clint Eastwood numa cidade deserta de bangue bangue.


Como figura pública, talvez seja difícil curtir os lugares que visita em virtude do assédio dos fãs – em muito lugares tua presença pode ser um ‘acontecimento’ que transforma a rotina habitual. Como é conviver com isso? Isso não colabora para que um trabalho que te daria liberdade para conhecer pessoas e lugares acabe na verdade fazendo com que tu fique mais recluso?
É, o observador acaba transformando o objeto. Mas há outras formas de absorver as características locais. As reações ao show são um bom indicativo de como uma cidade é.

Com tanto tempo na estrada a trabalho, curte ainda viajar só para relaxar?
Para mim, férias é estar longe de aeroportos e hotéis.


Gosta de registrar as viagens em fotos? E teu cotidiano? Que tipo de equipamento fotográfico usa?
A câmera tem que ser invisível, ou seja, um celular. Andar com máquina fotográfica parece que espanta as coisas interessantes. Com celular, a gente engana o destino. Tá sempre ali e nunca está. Só a Sony Ericsson tem feito celulares levando a foto em consideração. São os únicos com flash e resolução alta.


Você se sente um estrangeiro?
Viajando, não. Viajando, a estrangeirice é normal, sem estranhamento. Em Porto Alegre, me sinto. Nenhuma ilha do oriente é tão exótica quanto a esquina da tua casa, sempre igual, sempre outra.

Texto: Ale Lucchese

Circuito de Futsal

Jogos ocorrem neste sábado, na AA Metisa, e Timbó.

Tabela De Jogos
Categoria Sub 14
J Data Hora Equipe A X Equipe B
01 28.11 08:15 METISA X ADESC/ SCHROEDER
02 28.11 08:40 APAMA X COL. FREI POLICARPO
03 28.11 09:15 METISA X APAMA
04 28.11 09:40 FREI POLICARPO x ADESC/ SCHROEDER
05 28.11 10:15 APAMA X ADESC/ SCHROEDER
06 28.11 11:00 METISA X COL. FREI POLICARPO

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Vídeo

No dia 28, às 21h30 poderemos assistir "Tua imensa torcida é bem feliz", um especial para mostrar a volta do Vasco da Gama.
O vídeo será exibido pelos canais ESPN.

Em dezembro, mais um vídeo:
"VASCO 2009, amor sem divisão", este com transmissão pelos canais SporTV.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Taça Brasil de Clubes

ACBF passa pelo Umuarama e garante vaga na fase decisiva
*Beto Costa/CBFS

Rodrigo marcou um dos gols da ACBF na partida
O Carlos Barbosa garantiu a última vaga na fase decisiva da 36ª Taça Brasil de Clubes de Futsal. A conquista veio com a vitória sobre o Zaeli/Penalty/Umuarama na noite desta segunda-feira (23/11), por 3 a 2, em confronto disputado no ginásio Amário Vieira da Costa, em Umuarama (PR). Com isto, o time laranja chegou aos 12 pontos e não pode mais ser ultrapassado no grupo 1.
A ACBF fará parte do grupo B da fase decisiva da Taça Brasil, que será disputada a partir da quarta-feira (25/11), em Cascavel (PR). O time duelará com a Ulbra/Toddy/Tavares (TO), Juinense (MT) e Tigre/Natto (PE). A chave A da etapa final da competição conta com o Diplomata/Mufftão/Cvel (PR), ABC/UnP/Art&C (RN), V&M Minas (MG) e AABB/Unimed (AC).
Os gaúchos saíram na frente. Thiaguinho abriu o marcador aos 5min57. Porém, a etapa inicial terminou empatada. Aos 18min18, Canabarro empatou o confronto. “Começamos o jogo dando muito espaço. Não conseguimos neutralizar algumas jogadas da ACBF, mas a partir da metade do primeiro tempo passamos a jogar”, destacou o técnico do Umuarama, Jarico.
Na etapa final, Carlinhos voltou a colocar os visitantes em vantagem, aos 27min29. Na sequência, Canabarro foi expulso, aos 28min32. Com um homem a mais em quadra, o time da serra gaúcha voltou a ampliar, desta feita com o fixo Rodrigo, que fez seu quinto tento na fase eliminatória da Taça Brasil.
Rubinho descontou para os anfitriões, aos 36min15, mas a reação foi insuficiente para impedir a vitória do time laranja, que confirmou sua passagem à fase decisiva da Taça Brasil de Clubes, edição 2009.

Fonte: www.futsaldobrasil.com.br

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Circuito Regional

Circuito Regional - 3ª Etapa

Equipe da Soc.Harmonia/FreiPolicarpo/Ociani disputou neste domingo (22/11) a penúltima etapa do "Circuito Regional de Futsal". Os jogos aconteceram no Ginásio Municipal, em Schoereder.Com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota; a equipe ficou com o 2º lugar desta etapa.

Tabela De Jogos
Schroeder/ Adesc 02 X 01 Metisa
Apama 03 X 00 Col. Frei Policarpo
Schroeder/ Adesc 00 X 03 Apama
Col Frei Policarpo 05 x 00 Metisa
Apama 05 X 00 Metisa
Schroeder/ Adesc 03 X 03 Col.Frei Policarpo

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Copa ARWEG

Divulgada a tabela da "Copa ARWEG de Futsal sub-14".
A equipe da Soc.Harmonia/FreiPolicarpo/Ociani está no grupo B, com:
- ARWEG
- Clube Escola Ricardo Hoffmann / F.M.E Rio Negrinho
- F.M.E Corupá

A primeira fase acontece no dia 29/11.
Esta será a última competição em que Vanderlei Wosniak (vandeco) comanda a equipe.
Em 2010 o professor estará desligado da EEB Frei Policarpo, sendo que o mesmo já encerrou a parceria de 4 anos com FME de Gaspar.

Circuito Regional

Equipe da Soc.Harmonia/FreiPolicarpo/Ociani disputa neste domingo (22/11) a penúltima etapa do "Circuito Regional de Futsal". Os jogos acontecerão no Ginásio Municipal, em Schoereder.

Tabela De Jogos
Categoria Sub 14
J Data Hora Equipe A X Equipe B
01 22.11 08:15 Schroeder/ Adesc X Metisa
02 22.11 08:40 Apama X Col. Frei Policarpo
03 22.11 09:15 Schroeder/ Adesc X Apama
04 22.11 09:40 Col Frei Policarpo x Metisa
05 22.11 10:15 Apama X Metisa
06 22.11 11:00 Schroeder/ Adesc X Col.Frei Policarpo

Abraço.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Tabela da fase decisiva da Taça Brasil é divulgada

A tabela oficial da fase decisiva da Taça Brasil de Clubes 2009 foi divulgada na tarde desta quinta-feira (12/11) pela Confederação Brasileira de Futebol de Salão – Futsal. A competição terá início no dia 25/11 em Cascavel, região oeste do Paraná e será disputada no ginásio Sérgio Mauro Fetusgatto, tendo o Diplomata/Muffatão/Cvel como equipe anfitriã.

Ao todo oito clubes lutarão pelo título da mais tradicional competição do salonismo nacional, faltando apenas definir o representante da eliminatória 1, que será disputada logo antes do início da fase decisiva, na cidade de Umuarama, próxima a Cascavel. Nesta chave estão as equipes do Cyagim (PR), Umuarama (PR), ACBF (RS), Atlântico (RS), Patrimonial (SC) e Malwee (SC).

Na fase decisiva as equipes serão divididas em dois grupos com quatro times cada. No Grupo A estarão o Diplomata (PR), a V&M Minas (MG), o ABC/Unp/ART&C (RN). No grupo B, além do campeão do grupo 1 da eliminatória, também estarão em disputa o Juinense (MT), o Tigre/Natto (PE) e a equipe da Ulbra/Toddy/Tavares (TO).

Na primeira rodada da competição estão previstas as partidas entre o campeão do grupo 1, que enfrentará a Juinense, a partir das 16h30. Na sequência, às 18h se enfrentam a Ulbra/Toddy e o Tigre. As 19h30 é a vez do Diplomata encarar a AABB e, encerrando a rodada, o ABC encara a V&M Minas.

Os dois melhores colocados de cada chave se classificam para as semifinais da competição, sendo que o melhor colocado do grupo A encara o segundo posicionado da chave B em uma das semifinais. Na outra o mais bem colocado do grupo B encara o segundo da chave A. A final ocorre no domingo (29/11), a partir das 14h.

Fonte: www.futsaldobrasil.com.br

sábado, 14 de novembro de 2009

O CAMPEÃO VOLTOU!!!


Foto: globoesporte.com

- Campeão Brasileiro "série B" 2009
- Campeão Brasileiro 1974
- Campeão Brasileiro 1989
- Campeão Brasileiro 1997
- Campeão Brasileiro 2000
- Campeão Copa Mercosul 2000
- Campeão Copa Libertadores da América 1998
- Campeão Sul-Americano de Clubes Campeões 1948
- Campeão Estadual 1923
- Campeão Estadual 1924
- Campeão Estadual 1929
- Campeão Estadual 1934
- Campeão Estadual 1936
- Campeão Estadual 1945
- Campeão Estadual 1947
- Campeão Estadual 1949
- Campeão Estadual 1950
- Campeão Estadual 1952
- Campeão Estadual 1956
- Campeão Estadual 1958
- Campeão Estadual 1970
- Campeão Estadual 1977
- Campeão Estadual 1982
- Campeão Estadual 1987
- Campeão Estadual 1988
- Campeão Estadual 1992
- Campeão Estadual 1993
- Campeão Estadual 1994
- Campeão Estadual 1998
- Campeão Estadual 2003

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Divisão Especial de Futsal

Blumenau é eliminada da Divisão Especial.
Jogando na noite de sábado no Ginásio Sest/Senat, a equipe da AD Hering/Gasparzinho/FMD Blumenau foi derrotada pelo Florianópolis Futsal com o placar de 2 a 1, gols de Wellington e Alvinho. Quem descontou para os blumenauenses foi Alemão. Com o resultado, os comandados do técnico Jorginho se despediram da Divisão Especial. Florianópolis, por outro lado, espera apenas o adversário para iniciar a fase semifinal da competição.

Fonte: Jornal de Santa Catarina

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

JEPB


Em pé (da esq. p/ dir.):Vandeco; Eula; Clarisse; Hainá; Tamara; Amanda e Simas;
Agachado: Paola; Patrícia; Camila; Luiza e Jaqueline.

Equipe de Futsal Feminino da EEB Áurea Perpétua Gomes, terceira colocada nos Jogos Estudantis da Primavera de Blumenau.

JEPB

Equipe de FUTSAL MIRIM FEMININO da "EEB Profª Áurea Perpétua Gomes" terminou os JEPB com apenas uma derrota e conquistou o terceiro lugar da competição.
Nas semi-finais:
Áurea Perpétua Gomes 00 x 02 Francisco Lanser - 8:30h
Barão do Rio Branco 01 x 02 Visconte de Taunay - 9:15h

Na disputa pelo terceiro lugar, a equipe venceu o Colégio Barão do Rio Branco por 02 a 00. O título ficou com a EEB Francisco Lanser.

sábado, 7 de novembro de 2009

1º lugar do grupo




Equipe da "EEB Profª Áurea Perpétua Gomes" termina primeira fase dos JEPB de forma invicta e conquista o primeiro lugar da chave A.
Foram três jogos:
Áurea Perpétua Gomes 2 x 1 Oscar Unbenhaun
Áurea Perpétua Gomes 1 x 0 Alberto Stein (por WO)
Áurea Perpétua Gomes 0 x 0 Visconte de Taunay

As semi-finais:
Áurea Perpétua Gomes x Francisco Lanser - 8:30h
Barão do Rio Branco x Visconte de Taunay - 9:15h

As finais ocorrem as 13:30h (3º e 4º) e 14:15h (final).
Os jogos ocorrem no ginásio do GALEGÃO.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

JEPB


Equipe de Futsal Feminino Infantil da EEB Áurea P. Gomes perde jogos da 1ª fase e está eliminada.
No primeiro jogo a equipe foi derrotada pelo Col. Barão do Rio Branco pelo placar de 5 a 2. Contra a EEB Max Tavares a equipe foi goleada por 7 a 1, e contra a EBM Duque de Caxias, nova derrota: 2 a 0.
A equipe:
16 Daniela
02 Rafaela
06 Thaís
04 Thaíne
10 Rúbia
09 Bruna
07 Najoara
11 Mayara
13 Tainá
08 Juliane
05 Camila
03 Tainá B.
14 Jaqueline
Profº : Vandeco

Divisão Especial de SC: ADHering/Gasparzinho empata e se complica



Blumenau - A equipe masculina de futsal de Blumenau (AD Hering/Gasparzinho/FMD) ficou no empate em 3 a 3 com o time de Florianópolis, ontem à noite, no Galegão, pela primeira partida do confronto das quartas-de-final do Estadual da Divisão Especial. Com o resultado, os blumenauenses são obrigados a vencer na próxima partida, marcada para sábado, às 19h30min, no ginásio do Colegial, na Capital.
Apesar do placar equilibrado, o time da casa teve o comando do jogo, criando diversas oportunidades de gol. No entanto, foram os visitantes que saíram na frente. Aos três minutos, o ala Renatinho abriu o placar para Floripa. Os blumenauenses foram para o intervalo com a derrota parcial, mas o gol da AD Hering veio logo no início da segunda etapa. Aos 45 segundos, Alemão com um chute forte venceu o goleiro Ney e igualou em 1 a 1.
O empate chamou os visitantes para o jogo e, aos 10 minutos da etapa complementar, o pivô Alvinho marcou o segundo. Os blumenauenses reagiram e partiram para cima. Pressionaram tanto que, aos 14 minutos, o ala Bruno e o goleiro se desentenderam, e o ala acabou tocando para o próprio gol vazio, marcando o segundo da casa.

Florianópolis, que jogou desfalcada, terá o retorno de quatro jogadores
A AD Hering voltou a pressionar. O fixo Serginho forçou a expulsão de Hiltinho, a dois minutos do final. Quinze segundos depois, Cleiton aproveitou a vantagem numérica e acertou um belo chute cruzado, colocando Blumenau na frente. No entanto, a 13 segundos do fim, a defesa blumenauense falhou e o pivô Alvinho aproveitou para empatar.
O treinador de Blumenau, Jorge Luis Schwatz, o Jorginho, lamentou as chances desperdiçadas:
– Vencíamos por 3 a 2 e tivemos dois lances para matar o jogo. Agora, as duas equipes têm que ganhar.
O time da Capital, semifinalista da última Liga Nacional, jogou desfalcado. O goleiro Djony e o fixo Antônio, suspensos, e o ala Márcio e o pivô Vinícius, lesionados, devem retornar no jogo de volta.
Em caso de um novo empate haverá prorrogação, com vantagem para Florianópolis por ter melhor campanha na fase de classificação.


Fonte: www.santa.com.br

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Seleção da Liga 2009



A principal competição do futsal nacional encerrou-se com a equipe do Carlos Barbosa (ACBF), na foto acima sagrando-se campeã em uma final eletrizante diante da Malwee Futsal.

Segue abaixo nossa seleção da edição de 2009 da Liga Futsal:

Goleiro: Lavosier (ACBF)
Fixo: James (Joinville/Krona)
Ala: Cabreúva (Malwee Futsal)
Ala: Guina (Joinville/Krona)
Pivô: Lenísio (Malwee Futsal)
Revelação: Djhony (Florianópolis Futsal)
Revelação: Decie (V&M Minas)
Craque: Lenísio (Malwee Futsal)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

ESTADUAL DE FUTSAL 2009

AD Hering empata e se complica BLUMENAU - A equipe masculina de futsal de Blumenau (AD Hering/Gasparzinho/FMD) ficou no empate em 3 a 3 com o time de Florianópolis, ontem à noite, no Galegão, pela primeira partida do confronto das quartas-de-final do Estadual da Divisão Especial. Com o resultado, os blumenauenses são obrigados a vencer na próxima partida, marcada para sábado, às 19h30min, no ginásio do Colegial, na Capital.
Apesar do placar equilibrado, o time da casa teve o comando do jogo, criando diversas oportunidades de gol. No entanto, foram os visitantes que saíram na frente. Aos três minutos, o ala Renatinho abriu o placar para Floripa. Os blumenauenses foram para o intervalo com a derrota parcial, mas o gol da AD Hering veio logo no início da segunda etapa. Aos 45 segundos, Alemão com um chute forte venceu o goleiro Ney e igualou em 1 a 1.
O empate chamou os visitantes para o jogo e, aos 10 minutos da etapa complementar, o pivô Alvinho marcou o segundo. Os blumenauenses reagiram e partiram para cima. Pressionaram tanto que, aos 14 minutos, o ala Bruno e o goleiro se desentenderam, e o ala acabou tocando para o próprio gol vazio, marcando o segundo da casa.
Florianópolis, que jogou desfalcada, terá o retorno de quatro jogadores
A AD Hering voltou a pressionar. O fixo Serginho forçou a expulsão de Hiltinho, a dois minutos do final. Quinze segundos depois, Cleiton aproveitou a vantagem numérica e acertou um belo chute cruzado, colocando Blumenau na frente. No entanto, a 13 segundos do fim, a defesa blumenauense falhou e o pivô Alvinho aproveitou para empatar.
O treinador de Blumenau, Jorge Luis Schwatz, o Jorginho, lamentou as chances desperdiçadas:
– Vencíamos por 3 a 2 e tivemos dois lances para matar o jogo. Agora, as duas equipes têm que ganhar.
O time da Capital, semifinalista da última Liga Nacional, jogou desfalcado. O goleiro Djony e o fixo Antônio, suspensos, e o ala Márcio e o pivô Vinícius, lesionados, devem retornar no jogo de volta.
Em caso de um novo empate haverá prorrogação, com vantagem para Florianópolis por ter melhor campanha na fase de classificação.

Disponível em http://www.clicrbs.com.br/jsc/sc/ acessado em 04/nov/2009.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Carlos Barbosa é campeão da Liga Futsal 2009

Jaraguá do Sul (SC) - O Carlos Barbosa é campeão da Liga Futsal 2009. O time gaúcho conquistou o título na noite desta segunda-feira (2/11), na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (SC), após ter sido superado no tempo normal, por 4 a 3, e ter vencido a prorrogação por 2 a 0. Este foi o tetracampeonato da equipe gaúcha, que já havia levantado a taça em 2001, 2004 e 2006.
O título veio ante a uma Arena Jaraguá lotada com mais de 8 mil pessoas. A equipe gaúcha podia empatar no tempo normal, já que venceu o jogo de ida, em Carlos Barbosa (RS), por 4 a 2. O revés por 4 a 3, com um gol sofrido no minuto final não abalou a equipe laranja, que conseguiu se impor no tempo extra e venceu por 2 a 0.
O jogo
O jogo começou tenso. Após o chute, do fixo Leco, Jé interceptou a bola com a mão dentro da área. Oportunidade para a Malwee abrir o marcador. Lenísio cobrou o pênalti e fez 1 a 0, aos 5min36. O empate surgiu veio dos pés de Jé, que aproveitou o rebote do goleiro Tiago, após cobrança de falta do fixo Rodrigo e mandou para o fundo das redes, aos 9min13.
A tensão carregou as duas equipes em faltas. Com pouco mais da metade do primeiro tempo decorrido, ambos os times já tinham atingido o limite de cinco infrações na etapa. O resultado foi sentido com os sistemas defensivos mais cautelosos, evitando contato com os rivais.
Nos instantes finais do primeiro tempo, Lenísio deu uma bela assistência para Leco, que da entrada da área, girou e chutou forte, cruzado. A bola foi no ângulo superior direito do goleiro Lavoisier, colocando os anfitriões novamente em vantagem, aos 18min25. Ainda na etapa inicial, Xoxo escapou pela ala direita, e tocou na segunda trave, Cabreúva escorou e ampliou, aos 19min10.
No último lance do primeiro tempo, Sinoê chutou e a bola desviou no fixo Leco e entrou na meta do goleiro Tiago, descontando para o time gaúcho, aos 20 minutos.
A etapa complementar teve os visitantes impondo um maior volume de jogo, já que o empate era suficiente para a conquista do título por parte do clube laranja. Os avanços dos gaúchos produziram alguns espaços para a Malwee atacar. Com este panorama, chances de gols foram criadas pelos dois lados, mas o placar permaneceu inalterado.
Faltando cinco minutos para o término do tempo normal o técnico Paulo Mussalem colocou o goleiro Bilica para atuar. O arqueiro passou a ajudar na construção das jogadas ofensivas do Carlos Barbosa. A tática surtiu efeito. Aos 15min32, Bilica lançou pelo alto, Leandrinho escorou de cabeça e Jé chutou forte, no ângulo de Tiago, empatando o duelo.
No minuto final, o ala Cabreúva passou a atuar como goleiro-linha. A resposta foi rápida. Xande tocou para Lenísio, que girou rápido e chutou forte para fazer o quarto tento dos jaraguaenses, aos 39min17. Foi o 32º tento do pivô na Liga Futsal, com isso ele termina a competição como artilheiro, ao lado do ala Falcão.
A vitória da Malwee no tempo normal levou a decisão para o tempo extra.

Prorrogação
A prorrogação, de 10 minutos, começou com os gaúchos melhores, mas logo as ações se equilibraram. As chances de gol no tempo extra foram escassas. Lenísio colocou uma bola na trave, mas a ACBF foi mais efetiva. Após a jogada de Waguinho, Sinoê aproveitou o rebote e definiu para fazer o gol, aos 48min15.
Imediatamente o técnico da Malwee, Fernando Ferretti, colocou Cabreúva para exercer o papel de goleiro-linha. A pressão dos anfitriões foi enorme, Xoxo chegou a mandar um chute na trave direita de Lavoisier, mas o Carlos Barbosa ainda consumou o triunfo com um gol de Lavoisier, aos 49min50, ficando com o título em plena Arena Jaraguá.
“Em nenhum momento deixamos de acreditar que tínhamos condições de vencê-los aqui, mesmo sabendo das dificuldades. No vestiários sentamos e conversamos. Bastava o time estar compenetrado, consciente e confiante de que podia e foi o que aconteceu. Não abdicamos de jogar e ganhamos por 2 a 0”, avaliou o técnico da ACBF, Paulo Mussalem.

Créditos: Rafael Xavier
Assessoria de Imprensa da Liga Futsal
Disponível em www.futsaldobrasil.com.br

domingo, 1 de novembro de 2009

Campeão da Liga Futsal 2009 será conhecido nesta segunda

















Jaraguá do Sul (SC) - Após 213 dias de competição, o jogo de número 245 da Liga Futsal 2009 definirá o campeão da temporada no campeonato mais importante do salonismo nacional. Malwee Futsal e Carlos Barbosa duelam a partir das 19 horas, desta segunda-feira (2/11), na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (SC). O SporTV transmite a decisão ao vivo.
O jogo de ida, realizado em Carlos Barbosa, na sexta-feira (30/10), apontou vitória gaúcha, por 4 a 2. Com isto, um empate leva a ACBF ao tetracampeonato. Os jaraguaenses, atuais bicampeões, precisam da vitória para levar a decisão para o tempo extra, de 10 minutos. Quem vencer a prorrogação levanta a taça. Em caso de empate, o título será definido nos pênaltis.
Tradição não falta aos dois clubes. Ambos buscam o tetracampeonato da Liga Futsal. A Malwee foi campeã em 2005, 2007 e 2008, enquanto o time laranja levantou o troféu em 2001, 2004 e 2006.
Os dois treinadores não têm problemas de ordem disciplinar para escalar suas equipes, no entanto, pelos lados da Malwee, o ala Falcão segue lesionado e não está confirmado no duelo.
“No jogo de ida as coisas não aconteceram como nós gostaríamos e acabamos saindo com uma derrota para tentarmos reverter no jogo de volta. Eu tenho certeza de que teremos o apoio da nossa torcida, e isto pode ser a força extra que precisamos para chegar à vitória”, declarou o pivô Lenísio, vice-artilheiro da Liga, com 30 gols.
Já o ala Tostão destaca como a ACBF deve atuar nesta segunda-feira. “Temos que ter o mesmo espírito que tivemos na partida de ida. Sabemos da qualidade Malwee, do potencial, dos jogadores, de todas as qualidades deles, mas não podemos esquecer o nosso lado. Às vezes valorizamos muito o adversário e acabamos nos desvalorizando um pouco”, alertou.

Créditos: Rafael Xavier
Assessoria de Imprensa da Liga Futsal

Competição e cooperação no esporte coletivo

Wilton Carlos de Santana
Docente do Curso de Esporte da UEL (PR)
Doutor em Educação Física - UNICAMP (SP)

É perfeitamente sabido que resultados ruins no esporte patrocinado resultam em demissões de técnico e de jogadores. Logo, todo treinador procurará jogadores capazes de competir e atender a maior parte das expectativas criadas ao redor da equipe. Por outra, procurará jogador competitivos, isto é, aqueles que reúnem condições de concorrer com outros. Sem essa virtude, não há como participar de equipes que exigem rendimento elevado. De bons jogadores, e considerarei assim todos aqueles que chegarem a esse nível de exigência, bons resultados serão cobrados. Aliás, é para apresentá-los que treinadores e jogadores atuam juntos.
Mas, quem pode ser competitivo? Quem reunir satisfatoriamente um conjunto de capacidades, que inclui as físicas, as gestuais (técnicas), as cognitivas, as emocionais, as sociais. É o desempenho harmônico desse coletivo de qualidades que sustenta o rendimento elevado do jogador; que lhe dá visibilidade. O desenvolvimento desses atributos começa a ser esboçado na iniciação esportiva, afirmado na adolescência e aprimorado na maturidade. Significa dizer que o jogador se torna competitivo ao longo do tempo. Esse processo se chama Treinamento a Longo Prazo (TLP). Estima-se que 10 anos de treinamento sejam necessários para que desponte um jogador de esporte coletivo de alto nível.
Isso posto, afirmaria que a competitividade é uma busca contínua de se tornar mais inteligente, mais bem preparado física, gestual, emocional e socialmente. Demandará, pois, um extenso e cansativo processo de construção sócio-cultural. Nessa caminhada, obviamente, não apenas o treinamento adquirido, mas também as características inatas são influentes. Logo, em se tratando de desempenho esportivo, o que se herda (genética), o jeito que se aprende (pedagogia), e ainda onde se está inserido (cultura), têm muita importância.
Num ambiente em que se busca ser igual ou superior aos outros o paradigma é a meritocracia, isto é, as pessoas são valorizadas segundo seus resultados. Não há como fugir disso. Por exemplo, para quem cumprir as tarefas cotidianas de competir com os colegas de equipe e obtiver êxito, a recompensa será a de ser a opção primária para o treinador; quem competir com os adversários e obtiver êxito, afirmar-se-á como um jogador de destaque, cuja condição lhe renderá, no contexto esportivo, uma gama de outras recompensas (bons contratos, projeção, mais tempo em quadra etc.). Ou seja, apenas para os que apresentarem bons resultados há luz no final do túnel. Para quem for superado, o ônus será o ostracismo e, nos casos mais graves, a exclusão e o banimento. Por isso, isto é, pelo mérito, que os jogadores são mais ou menos aproveitados pelos treinadores e estes mais ou menos valorizados pelos clubes. Em última análise, no esporte profissional, é o mérito o que define se jogadores e treinadores serão mais bem ou mais malsucedidos na carreira esportiva; se permanecerão mais ou menos tempo em evidência.
É exatamente sob o paradigma da meritocracia que muitos se perdem. E o fazem, entre outros fatores, por não conseguirem submeter interesses pessoais aos de natureza coletiva. Quer isso dizer que todo jogador que não conseguir cooperar (atuar junto) num ambiente competitivo é um impostor. E, por extensão, todo treinador que permitir que o egocentrismo, seja de quem for e o seu inclusive, sobrepuje a coletividade, além de impostor, é um amador, pois obstrui diretamente o desenvolvimento da equipe.
Portanto, competição não exclui cooperação. Ao contrário, a exige. Competir é, sobretudo, uma atitude cooperativa. Não precisamos ir tão longe para entender a interface entre essas atitudes. Pensemos no jogo. Este exige que os jogadores joguem sob regras coletivas. Quem não respeitá-las pune o coletivo. As estratégias são planos coletivos; a tática coletiva conecta-os para atacar e defender. A cobertura, o desarme, o bloqueio, o passe, a ajuda (dobra), entre outras, são atitudes cooperativas. Enfim, independentemente dos sujeitos, o ambiente exige cooperação. Entretanto, essa evidência do coletivo não significa, absolutamente, o ofuscamento da individualidade. Pelé e Michael Jordan, atuando de maneira coletiva, talvez tenham sido os jogadores de esportes coletivos mais originais de todos os tempos.
Espero que este texto tenha demonstrado que sem cooperação pouco ou quase nada de bom restará a fazer em esporte, um fenômeno marcado pela competição.
Para refletir: se competição e cooperação caminham juntas, por que boa parte dos jogadores profissionais, acostumada a competir desde cedo nas categorias menores, tem dificuldade de agir cooperativamente em suas equipes?

Disponível em www.pedagogiadofutsal.com.br, acessado em 01/nov/2009.

sábado, 31 de outubro de 2009

Carlos Barbosa bate a Malwee e fica a um empate do título


Carlos Barbosa (RS) - O Carlos Barbosa venceu o jogo de ida das finais da Liga Futsal 2009. O time aproveitou bem o fator casa, jogando no Centro Municipal de Eventos, em Carlos Barbosa (RS), a equipe fez 4 a 2 na Malwee Futsal, em um confronto cheio de alternativas e reviravoltas no marcador, na noite desta sexta-feira (30/10).
A partida de volta, que define o campeão da temporada, ocorre nesta segunda-feira (2/11), em Jaraguá do Sul (SC), às 19 horas. A ACBF precisa de um empate para levantar a taça. Já os catarinenses têm que ganhar no tempo normal para forçar o tempo extra de 10 minutos. Quem vencer na prorrogação fica com o título, enquanto o empate leva a definição para as cobranças de tiros livres da marca do pênalti.
O jogo começou equilibrado. As duas equipes se preocuparam em não abrir espaços, mas logo os gaúchos se soltaram. O primeiro tento da decisão ocorreu aos 2min46, quando Flávio ajeitou e Leandrinho chutou forte, abrindo o marcador para os anfitriões. Em desvantagem no marcador, a Malwee se manteve tranqüila. O time passou a usar mais o goleiro Tiago nas ações ofensivas.
A jogada do gol de empate dos catarinenses começou nos pés do arqueiro. Tiago passou para Xande que escorou para Leco, da entrada da área ele chutou para balançar as redes, fazendo 1 a 1, aos 8min17. A virada jaraguaense ocorreu aos 15min18, quando Chico recebeu na intermediária e acertou um belo chute, no ângulo superior direito de Lavoisier.
No intervalo da partida, os dois treinadores saíram de quadra insatisfeitos. “Sofremos o gol em uma desatenção. Não estivemos concentrados e pagamos o preço”, lamentou o técnico da ACBF, Paulo Mussalem. Já Fernando Ferreti, da Malwee, foi sucinto sobre o que esperava para a etapa complementar. “Nossa equipe tem que melhorar a defesa”.
Nos primeiros minutos do segundo tempo o time laranja empatou. Rodrigo chutou de longe, a bola bateu na trave e voltou nas costas do goleiro Tiago e entrou, aos 23min09. O confronto seguiu com os donos da casa com um maior volume de jogo. A nova reviravolta no marcador ocorreu aos 34min40. Sinoê recebeu de costas para o gol e girou, a finalização saiu forte, sem chances para Tiago.
O gol que consolidou a vitória laranja ocorreu aos 37min25, quando em um contra-ataque, Daniel tocou para Jé, que chutou, no rebote a bola sobrou com Daniel, que voltou a passar a bola para Jé, que desta vez não desperdiçou, fechando o placar em 4 a 2.

Disponível en www.futsaldobrasil.com.br, acessado em 31/out/2009.

“Os Jogos não podem ser só uma festa”

Entrevista com Lars Grael
“Os Jogos não podem ser só uma festa”, avisa Lars, sobre o Rio-2016

Hoje de volta à vela, Lars Grael teve um teve um período de atuação política como secretário de esportes em nível nacional e estadual, em São Paulo. Viveu, assim, o período em que a candidatura do Rio de Janeiro aos Jogos Olímpicos era apenas um embrião, no começo do século, antes mesmo do Pan de 2007. Após a festa com a vitória na eleição para sede de 2016, em Copenhague, na Dinamarca, é hora de se pensar para onde o Rio poderá levar o país. Esta é a preocupação do paulista, duas vezes medalhista de bronze nas Olimpíadas.
Os Jogos não podem ser só uma festa, com um fim", avisa Lars, que disse ter compartilhado o fervor da vitória brasileira. "Nunca tivemos um momento tão propício para discutir o esporte. Para que ele seja integrado às políticas sociais do governo. O esporte tem de ser elemento de políticas públicas."
Para Lars, o fundamental é trabalhar o esporte nos níveis de base, pensando não apenas em resultados, mas em saúde, educação e inclusão social.
Fora da política, o velejador está de volta ao mar e em alto nível, o que foi comprovado com o bronze no Mundial de Star da Suécia. O objetivo agora é melhorar o resultado no Mundial do Rio, em janeiro, para depois disto pensar se aos 45 anos encara mais um ciclo olímpico. Confira a entrevista com Lars, que falou sobre vela, sua deficiência, os Jogos no Rio e o que espera estar fazendo em 2016.
Como você viu a vitória do Rio na eleição para sediar os Jogos de 2016. Você compartilhou aquela exaltação, ou tem ressalvas?
Lars Grael: Compartilhei. Desde quando fui gestor como secretário nacional de esportes, dei minha contribuição ajudando a conceber o projeto. Em fevereiro de 2001, nós tivemos uma reunião na Suíça com o então presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Juan Antonio Samaranch, em que avaliávamos uma candidatura e como ela deveria ser. Ele disse que o primeiro passo era nos empenharmos em fazer uma competição continental. Foi o Pan, que teve uma parte de estratégia importante quando sediamos os Jogos Sul-Americanos de 2002. O evento foi tirado de Medellín (COL), por motivos de segurança, e de Mar Del Plata (ARG), por problemas econômicos. Nós o acolhemos e, nisso, ganhamos votos na América do Sul para o Pan. Aí veio 2007 e tivemos um excelente evento, apesar de algumas ressalvas, que deu credibilidade para sediarmos os Jogos.
Quais são os próximos passos para se pensar em 2016?
Lars Grael: Agora as Olimpíadas são um fato concreto. Seremos palco dos Jogos Militares [2011], da Copa do Mundo [2014] e dos Jogos Olímpicos. E, tão importante quanto as transformações urbanas para o Rio, temos de combater o crime organizado, garantir segurança e melhorar hotéis, transporte e condições ambientais. Além disso, temos de desenvolver com intensidade um espírito olímpico, que se faz mobilizando a sociedade, dando atenção ao esporte na escola, valorizando o profissional de Educação Física e o esporte estudantil.
Mas qual tem de ser o foco na preparação?
Lars Grael: Muito mais do que colocar equipamentos esportivos, é fortalecer o esporte como meio de inclusão social, de dar qualidade de educação e de construir políticas públicas de saúde, combatendo o sedentarismo, por exemplo. Este é o principal legado que temos de buscar.
Este prazo de sete anos será suficiente para tantas mudanças que nunca foram feitas?
Lars Grael: Precisamos que seja. Nunca tivemos um momento tão propício para discutir o esporte. Para que ele seja integrado às políticas sociais do governo. O esporte tem de ser elemento de políticas públicas e os Jogos não podem ser só uma festa, com um fim.
O resultado no quadro de medalhas não é o mais importante, então?
Lars Grael: Acho que uma coisa é conseqüência da outra. Para termos o resultado é necessário compromisso com a base. O Brasil tem condições de estar inserido entre as dez primeiras potências do esporte olímpico e as cinco melhores do esporte paraolímpico em 2016.
E o que você se imagina fazendo em 2016?
Lars Grael: Estarei acompanhando meu filho Nicolas e meus sobrinhos Marco e Martine, tentando a vaga olímpica. Além disso, espero ver e acompanhar como preparador os alunos oriundos do Projeto Grael. Eu estarei competindo, mas provavelmente na vela oceânica, com barcos de maior parte. Provavelmente ainda velejarei de Star, mas a idade [terá 52 anos] e ter uma perna a menos serão um grande handicap, me deixando sem condições olímpicas.
Falando sobre vela, agora. Ao lado de Ronnie Seiffert, você vem de um bronze no Mundial da classe Star. Você esperava este resultado?
Lars Grael: Foi uma surpresa, porque eu voltei à vela olímpica com mais intensidade em 2009. Já vinha intensificando desde 2007 este retorno, depois de deixar os cargos de gestão esportiva a que estava ligado, e este ano fui estabelecendo metas. Primeiro, velejei com Renato Moura e, depois, já com o Ronnie, fui 17º na Alemanha. Sabia que estava faltando um algo mais. Quando fomos para o Mundial da Suécia, começamos a andar no grupo intermediário, mas conseguimos equilibrar o barco e crescemos na competição. A meta era nos manter entre os dez, o que seria excelente, mas tivemos aquele último dia perfeito, vencemos com folga e com isso pegamos o bronze.
Este resultado muda suas projeções e os planos?
Lars Grael: Muda sim, é um enorme incentivo. Apesar de ter ficado anos afastado da vela olímpica, já estar com 45 anos e pelo peso da deficiência física, voltar com garra e conquistar um resultado deste motiva muito para o futuro.
Por que você decidiu deixar o lado político?
Lars Grael: Sempre tive uma noção muito clara da transitoriedade desses cargos, não queria me perpetuar, mas levar a visão de um atleta olímpico para os postos em que estive. Foi gratificante ser Secretário Nacional de Esportes e Secretário da Juventude, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, mas não tinha como meta me tornar político. Tive então um convite para a iniciativa privada, num cargo de superintendente da Light, empresa na qual ainda sou consultor e é minha patrocinadora na vela. O sangue de velejador sempre esteve comigo, voltar a realizar o sonho de velejar é muito gratificante.
O que é possível esperar para o Mundial da classe Star no Rio, em janeiro?
Lars Grael: O Mundial no Rio é a principal competição para a classe Star agora. Estou com um barco novo chegando e já vou poder acertá-lo na Semana Internacional de Vela no Rio de Janeiro, nos dias 1 e 2 de novembro, e no Sul-Americano, também no Rio. Esta competição já vai reunir os que vão ao Mundial. Virão barcos do mundo inteiro, então será bom para trabalhar a parte técnica.
Você acha que brigará pela vitória?
Lars Grael: É muito difícil dizer. As competições são muito equilibradas, tanto que fora o Robert [Scheidt], nenhum velejador venceu duas provas de Star este ano. Teremos velejadores como o Robert e o Torben [Grael], então sou apenas um pretendente.
Mas o resultado no Mundial te dá uma projeção de brigar pelo ouro?
Lars Grael: Sim, é possível. Seguramente dá para brigar.
E, mesmo com 45 anos, existe algum plano de disputar os Jogos Olímpicos de 2012?
Lars Grael: A partir deste Mundial vou analisar o cenário de vela e pensar até 2012. Com estes resultados verei se encaro outro ciclo, porque não sou obcecado por isso. Tenho de ter um senso de realismo, saber que não é fácil se classificar com adversários como Scheidt, no alto de sua carreira, velejando maravilhosamente bem, e com o regresso de Torben [vencedor da Volvo Ocean Race, volta ao mundo de vela]. Mas não descarto.
No mês passado se completou 11 anos do acidente que lhe causou a amputação da perna direita. Qual a maior diferença daquele tempo e hoje, como velejador?
Lars Grael: A diferença é que no tipo de barco da classe Tornado, um amputado não teria a menor chance de competir [este tipo de embarcação exige mais movimentação do timoneiro, que veleja de pé]. Já a classe Star permite velejar com uma perna, apesar de o que fiz ser inédito. Eu levo desvantagem em movimentação e agilidade, além da capacidade de escora, que é estabilizar o barco colocando o peso do corpo para fora, o que aparece mais em vento forte.
Como vencer essa dificuldade?
Lars Grael: Com técnica e cada vez mais aliando experiência e paixão. É realmente na pura superação. Espero, com isso, inspirar as pessoas que passam por situações semelhantes.
Esse seria o objetivo de ir às Olimpíadas?
Lars Grael: Sim, meu principal objetivo é inspirar quem passou por algo semelhante ou até menor do que passei. Não tenho como objetivo ter mais uma medalha, mais uma taça na minha estante. A Olimpíada tem o lado do compartilhar, uma conquista traz um impacto muito grande pra quem me tem como referência.
Nestes anos, como foi encarado o seu retorno após ter de amputar a perna?
Lars Grael: Eu, potencialmente, posso competir e nunca encontrei proibição. Algumas pessoas mostraram certo constrangimento em me ver competindo contra eles. Havia pena. Mas vendo que tem de dar o máximo de si para competir comigo, elas passaram a admirar e respeitar o meu esforço.

Publicada em: 28/10/2009 às 15h10m
Autor: Comunicação - CONFEF
Fonte: UOL Esportes

Abraço.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

JEPB

Os "Jogos Estudantis da Primavera de Blumenau" ocorrem até o dia 08/11. As equipes de Futsal Feminino da EEB Áurea Perpétua Gomes competem na próxima semana. Os jogos ocorrem no Ginásio do Galegão.
Futsal feminino infantil
04/11 Quarta-feira Áurea P. Gomes x Barão do Rio Branco
04/11 Quarta-feira Áurea P. Gomes x Max Tavares
05/11 Quinta-feira Áurea P. Gomes x Duque de Caxias
08/11 Domingo Fase final: depende de classificação

Futsal feminino mirim
06/11 Sexta-feira Áurea P. Gomes x Oscar Unbenhaun

07/11 Sábado Áurea P. Gomes x Alberto Stein
07/11 Sábado Áurea P. Gomes x Visconde de Taunay
08/11 Domingo Fase final: depende de classificação

Abraço.

FINAL da Liga Futsal 2009

A final da Liga Futsal 2009 será disputada entre duas das principais equipes do futsal brasileiro.
Carlos Barbosa e Malwee Futsal iniciam o duelo pelo título nesta sexta-feira, 30/10 no Ginásio Municipal de Eventos, em Carlos Barbosa.
O segundo e decisivo jogo ocorre na Arena, em Jaraguá do Sul no dia 02/11. Ambos os jogos tem início as 19 horas com transmissão do canal Sportv.

Abraço.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Carlos Barbosa vence Florianópolis e está na final!

No sufoco, time gaúcho vence com um gol do fixo Rodrigo e garante vaga na final da Liga Futsal 2009
Por Beto Costa/CBFS

O Carlos Barbosa (RS) é o segundo finalista da Liga Futsal 2009, principal competição do salonismo nacional. Após empatar (2 a 2) com o Florianópolis Futsal (SC) em Brusque e, vence-lo em Carlos Barbosa (Centro Municipal de Eventos) nesta terça-feira (27/10), por 1 a 0, o clube gaúcho garantiu presença na final e agora irá decidir o título contra a Malwee Futsal (SC), que eliminou a Zaeli/Penalty/Umuarama, do Paraná. Assim como a Malwee, a ACBF busca o tetracampeonato da Liga.
O jogo foi equilibrado, principalmente na primeira etapa, quando ambos os times priorizaram a marcação e se lançaram pouco ao ataque. Empurrado pela torcida, o Carlos Barbosa contra-atacava com mais regularidade e se aproximava do primeiro gol.
Após perder a bola no ataque e reclamar de falta inexistente, a equipe visitante não se recompôs a tempo e sofreu o gol. Rodrigo, aos 18min04, recebeu passe preciso do ala Tostão e, com extrema categoria, concluiu de primeira para abrir o marcador – 1 a 0.
Atrás no placar, o Florianópolis adotou uma postura mais ofensiva após o intervalo e foi para o tudo ou nada no Centro Municipal de Eventos. Com o goleiro artilheiro Djony ainda mais adiantado, o time catarinense cresceu na partida e ficou muito próximo do empate.
Experiente, a agremiação laranja se fechava com eficiência na defesa e trocava passes em velocidade na quadra ofensiva. Do outro lado, o adversário insistia com o goleiro Djony, que encontrava dificuldades para armar e concluir a gol.
Impreciso nas finalizações, o representante catarinense pressionou o Carlos Barbosa até os segundos finais, o que de nada adiantou. Fim de jogo, vitória da equipe gaúcha pelo placar mínimo de 1 a 0. O primeiro jogo da decisão entre ACBF e Malwee Futsal será disputado nesta sexta-feira (30/10), às 19 horas, em Carlos Barbosa.
Autor do gol da classificação, o fixo Rodrigo comemorou a vitória. “Entramos em quadra sabendo da qualidade do goleiro linha adversário, mas durante a semana trabalhamos muito e conseguimos neutralizar a melhor jogada deles. Nosso técnico nos orientou da melhor maneira e assimilamos tudo com eficiência. Estou feliz pelo gol, mas muito mais pela classificação. Agora vamos comemorar e depois treinarmos muito, pois o título será decidido entre duas equipes de muita tradição”, analisou o camisa 2 da ACBF.
Fonte: www.futsaldobrasil.com.br

Abraço.

Futsal! Um Sonho Olímpico - Rio 2016




O futsal merece estar nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 porque:
- É praticado em 140 Países em todo o mundo;
- Já há mais de 37 Países interesse em Promover o desenvolvimento do futsal;
- 55 Países praticam o futsal feminino;
- Há milhões de praticantes em todo o mundo;
- É um esporte praticado em TODOS os continentes;
- Como partidas de Ginásios poliesportivos pueden acontecer;
- É um esporte popular e interessante para a mídia;
- É constituído como esporte paraolímpico;
- São as regras unificadas pela FIFA;
- Participou de eventos importantes promovidos por Organismos do COI (Jogos da ODESUR - Sul-Americano, Jogos da ACOLOP - Lusofonia, Jogos da ODEPA - Organização Pan-Americano e Jogos Asiáticos).

Junte-se à esta corrente! Acesse www.futsalolimpico.com.br e apoie com seu voto.

A criançada fez a festa!





Imagens da premiação do TORNEIO INTERNO DE FUTSAL 2009, da EEB Profª Áurea Perpétua Gomes, realizado em 15 de outubro.

Malwee vence duas vezes e está na final da Liga Futsal 2009

Malwee está em mais uma final de Liga Futsal
créditos: Beto Costa/CBFS

A Malwee Futsal está na final da Liga Futsal 2009. O time chega pelo quinto ano consecutivo à decisão da competição mais importante do salonismo nacional. A conquista da vaga veio com duas vitórias, na noite desta segunda-feira (26/10), sobre o Zaeli/Penalty/Umuarama. No jogo de volta da semifinal, realizado na Arena Jaraguá, a equipe venceu o tempo normal, por 4 a 1, levando a decisão da vaga para o tempo extra, em que os donos da casa venceram por 1 a 0.
Agora o time de Santa Catarina, que tenta o quarto título da Liga, aguarda a definição de seu adversário na final. Nesta terça-feira (27/10), Carlos Barbosa e Florianópolis Futsal farão o jogo de volta da outra semifinal. Quem vencer o duelo na serra gaúcha ficará com a vaga na decisão, que tem seu primeiro jogo marcado para a sexta-feira (30/10). O título será definido, no dia 2 de novembro, em Jaraguá do Sul (SC).

O jogo
Com a obrigação de vitória, após perder o jogo de ida por 5 a 3, a Malwee Futsal tentou exercer pressão sobre o adversário. O volume de jogo, no entanto, foi contido, responsável, preocupado em não abrir espaços para a velocidade do time paranaense. A preocupação dos catarinenses não era em vão, tanto que o Umuarama quase abriu o marcador, quando Tiago avançou e acabou perdendo a bola, Cabreúva salvou, de cabeça, o que seria o primeiro tento da partida.
Aos poucos, o Zaeli se complicou com o acúmulo de faltas. Primeiro Falcão sofreu pênalti do goleiro Reginho, mas Alesi entrou e defendeu a cobrança de pênalti do artilheiro da Liga, aos 12min50. Na sequência, Lenísio teve a chance em um tiro livre da marca dos dez metros, porém o arqueiro reserva do Umuarama apareceu bem novamente e evitou o gol da Malwee.
Em mais uma cobrança de tiro livre, desta vez de Fernandinho, Alesi apareceu de novo e fez mais uma defesa. Mas na sequencia, em uma saída de bola errada do time do Paraná, Leco aproveitou bem o erro e chutou, de primeira, abrindo o marcador na Arena Jaraguá, aos 18min10.
Os jaraguaenses ampliaram ainda na etapa inicial. Em uma jogada trabalhada, Cabreúva passou para Falcão, que de frente para meta fez o segundo do time da casa, aos 19min23. “Tivemos muita paciência. Quando estamos na pressão as coisas não acontecem como imaginamos. Perdemos algumas chances, como no pênalti e nos tiros livres diretos, mas conseguimos o nosso objetivo. Agora tentaremos definir o jogo no início do segundo tempo para levar para a prorrogação”, declarou Falcão, no intervalo da partida.
Já o personagem pelo lado do time paranaense, o goleiro Alesi lamentou as falhas nos minutos finais do primeiro tempo. “Minha missão é entrar para tentar defender pênaltis e tiros livres. Pude ser feliz, mas temos que evoluir para tentar o empate, com ele vamos para a final”, comentou o arqueiro.
Na etapa final, os anfitriões conseguiram definir a vitória. Lenísio saiu de frente com Reginho e com categoria finalizou, marcando o terceiro da Malwee, aos 24min51. O placar fez com que o técnico do time paranaense, Paulinho Cardoso, colocou o goleiro Gian, que trabalha bem com os pés, em quadra. Mas quem marcou foi o time de Santa Catarina, com Chico, aos 27min50. O Zaeli/Penalty/Umuarama ainda descontou, com Augusto, aos 38min57, fechando o placar no tempo normal, em 4 a 1.

Tempo extra
A vitória da Malwee Futsal forçou a realização de um tempo extra, de 10 minutos (com dois tempos de cinco minutos cada), em que nenhum dos times detinha vantagem. A vitória para qualquer dos lados daria a vaga na final ao vencedor. “É um novo jogo. Só há 10 minutos para tentar a vitória, mas se mantermos a concentração e a dedicação podemos buscar a vitória”, disse o pivô Lenísio.
A prorrogação começou com os visitantes tentando pressionar, principalmente usando o goleiro Gian no ataque, mas a resposta veio dos pés do arqueiro Tiago, que chutou duas vezes seguidas para as defesas de Gian, mas a sobra caiu nos pés do ala Falcão, que marcou aos 41min43.
Em desvantagem, os paranaenses passaram a valorizar a posse de bola, sobretudo usando o goleiro Gian no ataque, porém a Malwee mostrou bom poder de marcação e evitou que a meta defendida por Tiago fosse ameaçada de forma efetiva, garantindo o triunfo e mais uma classificação para final de Liga Futsal.

Fonte: www.futsaldobrasil.com.br

Abraço.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

MAIS DO QUE PALAVRAS



TORNEIO INTERNO DE FUTSAL 2009
EEB Profª Áurea Perpétua Gomes

Uma Possível Classificação para o Contra-ataque

Por Omar de Brito Garcia & Marco Antonio Parazi

A necessidade de entender mais sobre o contra-ataque incentivou alguns
autores a elaborarem uma classificação de como ele acontece dentro do jogo.
Percebemos que o ponto de vista dos estudiosos convergiam para o mesmo ponto,
mas com nomes diferentes. Entretanto, o que se observa nas classificações vai muito
além.
Bello Junior (1999, p. 118) classifica os tipos de contra-ataque das
seguintes formas:
Sustentado – quando o jogador responde ao ataque adversário,
conduzindo a bola até o gol.
Assistido – quando em um passe apenas acontece a conclusão ao a
gol adversário.
Lançado - quando o goleiro ou jogador, após o ataque adversário
lança a bola em longa distância ao companheiro.
Segundo Voser (2000, p. 65) a classificação seria a seguinte:
Direto – quando o goleiro faz uma defesa e repõe rapidamente a bola
a um jogador de linha que progride até concluir o gol. Quando o
jogador que recuperou a bola vai em direção ao gol adversário e
conclui a gol.
Indireto - quando houver após a roubada de bola, troca de passes
entre os jogadores da mesma equipe antes da conclusão a gol.
Fica evidente que os autores entendem o contra-ataque dentro do jogo
de futsal de forma muito parecida. No entanto, ao escreverem, tanto os termos
empregados bem como as definições são distintas. Isso evidencia a diferença de
formação e experiências vividas por ambos nesse esporte e, assim, não cogitamos o
certo ou errado, mas, sim, como pontos a serem observados e atualizados conforme a
realidade atual do Futsal.
Com a finalidade de atingir os objetivos deste estudo, acreditamos que,
desta forma, estejamos contribuindo com uma classificação mais próxima da realidade
atual do Futsal propondo uma terceira classificação que consideramos ser uma ponto
de convergência entre as duas classificações estudadas, conforme o Quadro 1:
Individual: quando o jogador rouba a bola (intercepta um passe, desarma o adversário) e conduz ou
finaliza sem ajuda (ser assistido por) dos companheiros.
Assistido: quando a bola vem de passe do goleiro, ou há troca de passes antes da finalização à meta, isto é, quem iniciou o contra-ataque realiza uma troca de passes antes da finalização.

Abraço.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Dia das crianças II

Evento ocorreu na manhã desta quarta-feira, reuniu 80 alunos de 5ª a 8ª série. As equipes classificadas do 1º ao 3º lugar receberam medalhas, tanto no feminino quanto no masculino.
Abraço.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

ESTADUAL DE FUTSAL

Definidos os dias e horários dos jogos válidos pela 3ª fase do Campeonato Catarinense de Futsal (Divisão Especial).

03/11/2009
ASME/UNOESC x Krona/Joinville/DalPonte
20:30 Gin. C.E. Guarani - São Miguel do Oeste T

07/11/2009
Krona/Joinville/DalPonte x ASME/UNOESC19:30 Gin. Ivan Rodrigues - Joinville R

04/11/2009
Hidro/Horus/FME/APEC x IACC/Patrimonial/Águia Seguros/Concórdia
20:30 Gin. Centreventos - Pinhalzinho T

08/11/2009
IACC/Patrimonial/Águia Seguros/Concórdia x Hidro/Horus/FME/APEC19:00 Centro de Eventos de Concórdia - Concórdia R

04/11/2009
Seguridade/Unisul/Penalty x Malwee Futsal
20:30 Gin. Salgadão - Tubarão T

10/11/2009
Malwee Futsal x Seguridade/Unisul/Penalty
20:30 Gin. M. Corupá - Corupá R

03/11/2009
A.D. Hering/Gasparzinho x Florianópolis Futsal
20:30 Gin. Galegão - Blumenau T

07/11/2009
Florianópolis Futsal x A.D. Hering/Gasparzinho
19:30 Gin. Sest/Senat - Florianópolis R

Fonte: www.futsalsc.com.br

Abraço.

sábado, 17 de outubro de 2009

Características do Contra-ataque

Por Omar de Brito Garcia & Marco Antonio Parazi

Apesar de compreendermos que o contra-ataque é jogo de transição
dentro do futsal e que pode ser treinado, encontramos algumas dúvidas: Treinar o
que? Quais as características do jogo de contra-ataque? O que deve ser levado em consideração na sua execução?
As experiências dos autores Escarlate (2003), Gambier (2004), Bello
Junior (1998), Santana (2004), Andrade Junior (1999), Voser (2001) apontam
características que devem ser levadas em consideração na hora da utilização do
contra-ataque. Segundo os autores consultados existem diversos pontos a ser
analisados, muitos desses pontos são convergentes, só que cada um procura dar uma linguagem própria. Diante disso, vejamos o que encontramos nos argumentos de
alguns desses autores:
Segundo Gambier (2004, p. 1), existem alguns posicionamentos, que se
adotados pelos jogadores, podem garantir maior sucesso nos contra-ataques:
1) O jogador que rouba a bola deve adiantá-la a o Maximo, nunca
passá-la para trás ou para o lado;
2) Os jogadores que estão sem posse de bola devem ficar adiante da
linha da bola e entrar em linha de passe buscando os espaços vazios
na defesa adversária facilitando o passe do condutor da bola;
3) E, claro uma boa dose de criatividade do passador já que diante
de tanta vantagem nunca se deve desperdiçar oportunidade de
chutar ao gol, porque erro de passe neste momento é quase fatal
pois pode começar o chamado contra-ataque que nasce de um
contar ataque errado, que encontrará sua defesa com mais
desvantagem numérica ainda, o que leva a uma sucessão de erros
incontroláveis.
Sobre isso, Escarlate (2003) relata:
O contra-ataque deve ser rápido e organizado;
O objetivo é tentar tirar proveito da vantagem numérica momentânea;
O jogador que estiver puxando o contra-ataque deve deslocar-se
para dentro da quadra:
§ Para não ficar isolado na ala;
§ Para aumentar as opções de ataque.
Em nossos estudos evidenciamos que o contra-ataque exige alguns
princípios que necessitam ser respeitados durante sua execução, pois, caso isso não
aconteça, aumenta ainda mais a probabilidade de não alcançar os objetivos com êxito desejado. Dos autores acima citados, somente dois trazem contribuições nesse sentido: Gambier (2004) e Santana (2004 ).
Para ambos existem princípios, que se posto em pratica pelos jogadores,
podem contribuir para um contra-ataque de sucesso. Segundo o autor Santana (2004, no prelo) os princípios são cinco:
[...] penso que cinco princípios definem um contra-ataque de
qualidade:
a) Velocidade e criatividade do condutor;
b) Passe de precisão que vence o marcador;
c) Opção de segundo passe;
d) Quem ataca se preocupa em defender;
e) Goleiro adiantado.
Com base nestes autores, destacamos alguns pontos que acreditamos
ser necessários para um contra-ataque de sucesso:
Para o jogador que inicia o contra-ataque alguns princípios devem ser
observados:
• Ele deve ir para cima do marcador, melhor dizendo, sua ação deve
ser de deixar o marcador na dúvida, acuá-lo;
• Suas ações devem ser realizadas no menor tempo possível, mas
não apavorada;
• Seu passe deve sempre vencer o marcador, isto é, dar condições
para aquele que recebe prosseguir o contra-ataque;
• Seu passe deve ser preciso;
• Sempre que tiver oportunidade e estiver equilibrado buscar a
finalização a meta.
Para os jogadores que participam assistindo ao contra-ataque.
• Eles devem buscar o deslocamento sempre oferecendo linhas de
passe;
• Realizar passes de qualidade.
Embora ambos aleguem que o jogador deva ter uma dose de
criatividade, optamos em não mencioná-la, pois acreditamos que a tomada de decisão
é fruto das relações do praticante com o meio, onde ele compõe seu arquivo motor que
pode assim, ser utilizado para tomar suas decisões. Entendermos também que
nenhuma situação é idêntica a outra, a expressão mais apropriada seria o uso de sua inteligência, que se refere a capacidade de resolver situações novas com base no conhecimento adquirido em experiências anteriores.
Assim, considerando o que foi abordado, evidencia-se que, para realizar
o contra-ataque, as ações dos atletas devem estar pautadas nos princípios citados.

Abraço.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

JEPB

Definidos os treinos na EEB Profª Áurea Perpétua Gomes visando os "Jogos estudantis da Primavera de Blumenau".

DATA CATEGORIA HORÁRIO
21/10 quarta-feira Mirim Feminino 17h – 18:30h
21/10 quarta-feira Infantil Feminino 17h – 18:30h
22/10 quinta-feira Mirim Feminino 16:45h – 17:45h
22/10 quinta-feira Infantil Feminino 17:45h – 19:15h
23/10 sexta-feira Mirim Feminino 10:45h – 12h
23/10 sexta-feira Infantil Feminino 16:15h – 18h
28/10 quarta-feira Mirim Feminino 9:30h – 10:30h
28/10 quarta-feira Infantil Feminino 17h – 18:30h
29/10 quinta-feira Mirim Feminino 16:45h – 17:45h
29/10 quinta-feira Infantil Feminino 17:45h – 19:15h
30/10 sexta-feira Mirim Feminino 16:15h – 17:15h
30/10 sexta-feira Infantil Feminino 17:15h – 19h
31/10 sábado Mirim Feminino 8h – 9:30h
31/10 sábado Infantil Feminino 9h – 11h

Abraço.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia das crianças I

Evento ocorreu na manhã desta quinta-feira, reunindo 100 crianças de 1ª a 4ª série. Todas as crianças receberam medalhas de acordo com a classificação da equipe no torneio de futsal.
Na próxima semana, divulgaremos imagens da premiação das equipes.

Abraço.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Dia das crianças

Em comemoração ao "Dia de Nossa Senhora Aparecida" e "Dia das Crianças", a EEB Profª Áurea Perpétua Gomes promoverá um Festival Interno de Futsal.
O evento inicia no dia 15 de outubro com jogos para os alunos das séries iniciais e encerra no dia 21 de outubro com o torneio para alunos das séries finais.

Abaixo a programação do dia 15:
EEB Profª ÁUREA PERPÉTUA GOMES

TORNEIO INTERSÉRIES DE FUTSAL 2009

Cat. “A” Masculino (1ª e 2ª série)
Equipe Pontuação Total pontos Classificação Final
1ª série 01
2ª série 01
2ª série 02

Cat. “A” Feminino (1ª e 2ª série)
Equipe Pontuação Total pontos Classificação Final
1ª série 01
2ª série 01
2ª série 02

Cat. “B” Masculino (3ª e 4ª série)
Equipe Pontuação Total pontos Classificação Final
3ª série 01
3ª série 02
4ª série 01
4ª série 02

Cat. “B” Masculino (3ª e 4ª série)
Equipe Pontuação Total pontos Classificação Final
3ª série 01
3ª série 02
4ª série 01


TABELA DE JOGOS
Jogo Horário Confronto
01 8:15 4ª 01 x 3ª 01 Masc
02 8:30 4ª 02 x 3ª 02 Masc
03 8:45 3ª 01 x 3ª 02 Fem
04 9:00 1ª 01 x 2ª 01 Masc
05 9:15 1ª 01 x 2ª 01 Fem
06 9:30 2ª 02 x 1ª 01 Masc
07 9:45 2ª 02 x 1ª 01 Fem
08 10:00 3ª 02 x 4ª 01 Fem
09 10:15 3ª 02 x 4ª 01 Masc
10 10:30 3ª 01 x 4ª 02 Masc
11 10:45 2ª 01 x 2ª 02 Fem
12 11:00 2ª 01 x 2ª 02 Masc
13 11:15 3ª 02 x 3ª 01 Masc
14 11:30 4ª 01 x 3ª 01 Fem
15 11:45 4ª 01 x 4ª 02 Masc

Abraço.

Malwee Futsal é hexacampeã do zonal sul

Em um jogo regado a muita tensão a Malwee Futsal não se intimidou e venceu a Cortiana/UCS/AFF pelo placar de 3 a 2 na cidade de Porto Iguaçu, Argentina, na noite desta sexta-feira (9/10), e conquistou o hexacampeonato do zonal sul do Campeonato Sul-Americano de Clubes de Futsal.
Agora a equipe enfrentará o campeão do zonal norte da competição para decidir quem ficará com o título continental. A Conmebol ainda não definiu quando serão os jogos decisivos do sul-americano.
A final continental com duas equipes brasileiras em quadra começou extremamente movimentada e a Cortiana tratou logo de acertar a trave no primeiro ataque, mas a Malwee tem Lenísio, e foi ele, aos trinta e sete segundos de jogo, que abriu caminho para a conquista catarinense ao receber passe de Cabreúva, que puxou um contra-ataque fatal.
O goleiro Tiago também foi bastante acionado e aos sete minutos o bom jogador Ferrão empatou a partida. Os defensores Leco e Chico quase chegaram lá em bons lances, mas foi novamente o matador Lenísio quem marcou para a Malwee colocando os comandados de Fernando Ferretti novamente em vantagem.
O segundo tempo começou com a Malwee sofrendo pressão, mas Tiago fechava o gol enquanto Lucas, Lenísio e Marcio tratavam de equilibrar as ações e criar boas oportunidades para ampliar a vantagem. Mas aos oito minutos e meio a arbitragem marcou um pênalti para os gaúchos, que empataram novamente com Ferrão.
Utilizando todas as armas de que dispunha os jaraguaenses começaram a utilizar o goleiro Tiago para armar jogadas, e foi ele quem desempatou com um bom chute no canto inferior direito.
Lenísio ainda quase marcou um golaço aos treze minutos, e Tiago fez uma excelente defesa em boa chance de Valdin. A Cortiana ainda lançou mão do goleiro-linha, mas a boa marcação da Malwee não deu chances para o adversário.
Para Lenísio, que mais uma vez marcou dois gols decisivos o título teve um sabor especial. "Esta conquista sem dúvida é muito importante porque reafirma o sucesso do trabalho da Malwee em todo o continente, e ainda foi valorizada pelo nível do nosso adversário, que é um time de qualidade e que sempre está disputando os campeonatos mais importantes no Brasil."
Depois desta conquista inédita na América do Sul o grupo voltou ao hotel apenas para tomar banho e jantar e seguiu viagem a Jaraguá do Sul, onde deve chegar no início da tarde deste sábado.

Créditos: Roberto Toledo - Assessoria de CBFS
Fonte: www.futsalsc.com.br

Abraço.

domingo, 11 de outubro de 2009

Agenda




* Na foto de baixo (à esquerda)
Em pé, da esq p/ dir: Andrei, Leandro, Braian, Dudu e Luís;
Agachados: Marcão, Ziel, Coca, Paulinho e Alemão.








Após conquistar o Título do Jogos Escolares, equipe volta suas atenções para o "Circuito Regional" que terá a 3ª fase no final deste mês, e para a "Copa Arweg" no mês de novembro.
No circuito regional o objetivo é somar de 12 a 15 pontos nos próximos seis jogos. Só assim a equipe entraria na 5ª e última fase do evento com chances de título.
Já na Copa Arweg, em Jaraguá do Sul, chegar a final tornou-se obrigação no grupo, já que este ano os resultados ficaram abaixo do esperado em todas as competições que a equipe competiu. Mesmo no escolares, onde o time foi campeão, deixou à desejar, pois a meta era o título de forma invicta (a única derrota ocorreu logo na estréia).

Abraço.

sábado, 10 de outubro de 2009

TEMPOS DE ESPERANÇA

*Vanderlei Wosniak
Graduado em Educação Física pela FURB/SC
Especialista em Interdisciplinaridade pela FACIPAL/PR
Especialista em Futsal pela UNOPAR/PR

Os próximos anos serão marcantes para o esporte brasileiro. Recentemente tivemos a realização dos “Jogos Pan-americanos” (2007)e “Mundial de Futsal” (2008).
O Brasil conquistou agora, o direito de organizar os dois maiores eventos esportivos mundiais:
Em 2014, a COPA DO MUNDO de futebol e;
Em 2016, as OLIMPÍADAS.
Esperamos que, com todo apelo que deverá ser realizado pela mídia em busca de campanhas dignas de um país com dimensões continentais, a Educação Física escolar deixe de ser instrumento tão somente de recreação, mas possa sim, exercer todo seu potencial, desenvolvendo a iniciação esportiva. E desta forma, contribuir para a revelação de talentos esportivos, assim como proporcionar aos alunos os benefícios que a prática esportiva oferece: espírito de equipe, liderança, tomada de decisão, hábitos de higiene, ocupação do tempo ocioso, comprometimento, etc.
Esperamos que o governo estadual crie programas que incentivem a prática do esporte escolar nas escolas públicas estaduais, pois uma coisa é certa: sem trabalho qualificado na base não iremos promover melhoras no esporte de rendimento.

Abraço.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

MAS DEU NA SEGUNDA!

A equipe de futsal masculino sagrou-se campeã dos jogos escolares. Após sofrer dois gols relâmpagos, a equipe retomou o equilíbrio e buscou o empate. A partir daí o que se viu foi um jogo muito nervoso e com diversas oportunidades desperdiçadas pelas duas equipes. Nos penaltis: Frei Policarpo 5 x 4 Zenaide.

Abraço.

NÃO DEU NA PRIMEIRA...

Equipe de futsal feminino foi derrotada na final para Zenaide Schmitt Costa. O placar foi 2 a 0. Assim a equipe encerra uma sequência de seis anos seguidos de título nos escolares.

Abraço.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Sexta de decisões

Nesta sexta-feira (09/10), as duas equipes de futsal do Frei Policarpo tentarão o título dos "Jogos escolares de Gaspar".
As 10:15h da manhã, a equipe feminina vai em busca do heptacampeonato (venceu 2003/04/05/06/07/08). O jogo será contra a equipe da Zenaide Schmitt Costa.
A equipe vai a quadra com: Larissa Simão, Suzane Deschamps, Luana Haendchen,Jéssica Koser e Larissa Theiss; Fernanda Rocha, Samara Reinert, Jéssica de Oliveira e Jéssica Mafra.

A tarde a equipe masculina busca o título inétido para o colégio. A final será contra a mesma escola (Zenaide Schmitt Costa), às 15:15h.
A equipe joga com: Marcos Prates, Andrei Ruginski, Douglas Correa, Andriel de Oliveira e Eduardo Schmtz; Leandro Theiss, Paulo Oeschler, Luis Eduardo Krauss, Daniel Schill, William Schmitz e Braian Gesser.

Abraço.

Jogos Escolares

MAIS UMA FINAL:
Na manhã de hoje a equipe feminina do Frei Policarpo teve muita dificuldade, mas venceu o Frei Godofredo pelo placar mínimo, 1 a 0, avançando à fase semi-final.
Assim como ocorreu na noite de ontem com os rapazes, hoje a tarde foram as meninas que fizeram grande apresentação e venceram novamente o Uni, desta vez por 6 a 1,garantindo vaga na final. O jogo será contra Zenaide Costa Schmitt, que venceu o Vitório Anacleto por 4 a 3.

Abraço.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Liga Futsal 2009

Definidos os semifinalistas da décima quarta edição da Liga
* Luciano Bergamaschi/CBFS

Confrontos entre ACBF e Florianópolis promotem agitar o sul do país
Das dezenove equipes que iniciaram a Liga Futsal 2009, apenas quatro continuam na briga pelo tão sonhado título nacional: Malwee Futsal (SC), Carlos Barbosa (RS), Florianópolis Futsal (SC) e Zaeli/Penalty/Umuarama (PR). Dessas, apenas Umuarama e Florianópolis ainda não foram campeãs.
O último clube a conquistar a vaga na quarta fase da competição foi o representante paranaense, que empatou (3 a 3) com o Atlântico/Erechim na terça-feira (6/10) e se garantiu entre os quatro melhores times do país.
Buscando o tetracampeonato da Liga, a Malwee terá pela frente a experiente equipe da Zaeli, atual bicampeã paranaense. O primeiro jogo entre as duas equipes está confirmado para o dia 23 de outubro (sexta-feira), às 19 horas, em Umuarama, interior do Paraná.
A outra semifinal será disputada entre Florianópolis e Carlos Barbosa. Nesse confronto, o time catarinense será o mandante da partida de ida. A Arena Antônio “Neco”, em Brusque (SC), será o palco do duelo do dia 24/10 (sábado), às 10 horas.É importante ressaltar que, assim como nas quartas-de-final, o canal SporTV transmitirá todos os jogos das fases semifinal e final, ao vivo.

Fonte: CBFS
Abraço.

Jogos Escolares

NA FINAL:
Após grande atuação, equipe do Frei Policarpo venceu o Uni por 3 a 1 e garantiu vaga na final. O jogo será contra Zenaide Costa Schmitt, que venceu a Norma M. Zabel por 6 a 3.
A equipe aplicou uma marcação fortíssima e abriu 3 a 0. A partir daí, a equipe optou pelo jogo de contra-ataque e garantiu a vaga na final, que ocorre na próxima sexta-feira, as 15 horas.

Abraço.

Jogos Escolares

Equipe Infantil masculino venceu a equipe da Marina Vieira Leal por 3 a 0, e agora enfrenta a equipe do Uni pelas semi-finais as 19:45h de hoje.

Abraço.

COMO FAZER OS SISTEMAS DE ATAQUE FUNCIONAREM

Prof. Fernando Ferretti
Técnico da Malwee Futsal/ SC


É tema de dicussão, ha algum tempo, a importância dos fundamentos para o bom funcionamento dos sistemas de ataque. Entretanto, esse tema nunca foi tão oportuno como agora.
A evolução e a qualidade dos sistemas defensivos têm complicado muito a organização do ataque e a individualidade dos atletas.
Os chamados padrões táticos de ataque, em moda nas melhores equipes do Futsal brasileiro, dependem das concepções táticas individuais dos atletas que o executam.
Ao mesmo tempo em que trabalhamos a movimentação desejada, devemos desenvolver três fundamentos táticos, que, a nosso ver, são a mola mestra do jogo de ataque bem organizado:

1)VELOCIDADE PRECISA DO PASSE - É a melhor forma de desequilibrar o marcador que se aproxima, buscando o desarme
COMO TREINAR – (5X5)Pelada de 1 Toque – 1 toque na bola ,o tempo todo. Só é permitido pisar na bola e partir daí passar com a sola do pé, sem perder o contato com a bola.
-Jogo da Zona de Armação – A quadra é dividida em 3 retângulos. O retângulo central será chamado “Zona de Armação”. Neste espaço central só é permitido ao atleta dar 1 toque na bola. É deste espaço que saem todos os passes que deixam os finalizadores em condição de chute.

2)ANDANDO COM A BOLA – Ao dominar a bola, nunca para com ela. A condução deve ser constante com o atacante colocando seu corpo entre a bola e marcador que tenta o desarme.
COMO TREINAR – (5X5) Jogo dos 3 Toques ou mais – O atleta que está com a bola não pode passar antes de dar 3 toques ou mais na bola. Ao andar com a bola, fazendo a devida proteção o atleta, vai desequilibrando a marcação.

3)SAIR/ENTRAR DO CAMPO VISUAL DO MARCADOR ( “GATO” ) – Ao correr sem a bola, fazer todo o tempo a fuga do campo visual do marcador, o que popularmente alguns chamam de “gato”.
COMO TREINAR – (5X5) Jogo do Gato – O jogador que conduz a bola não pode ser desarmado. Ao marcador do homem da bola só é permitido interceptar o passe. Enquanto isso, os outros jogadores buscam desmarcar-se, saindo e entrando do campo visual do marcador (fazendo o gato).

Abraço.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Liga Futsal 2009

Zaeli/Penalty/Umuarama empata em Erechim e se classifica
*Luciano Bergamaschi/CBFS

Umuarama empata no RS e se garante na semifinal da Liga Futsal 2009
Última equipe a garantir vaga na segunda fase da Liga Futsal 2009, principal competição do salonismo nacional, a Zaeli/Penalty/Umuarama (PR) está entre os quatro melhores clubes do país na atual temporada.
Mesmo jogando em Erechim, interior do Rio Grande do Sul, o time da “Capital da Amizade” empatou com o Atlântico/Erechim (RS) nesta terça-feira (6/10), em 3 a 3, resultado que garantiu os paranaenses na semifinal do campeonato. O próximo adversário do Umuarama será a Malwee Futsal, de Jaraguá do Sul (SC).
Empurrado pela torcida, que praticamente lotou o ginásio do CER Atlântico, local da partida, o Atlântico abriu o marcador com menos de trinta segundos de bola rolando – gol do ala Jonathan, de pênalti.
Experiente, o técnico Paulinho Cardoso, da equipe paranaense, parou o jogo e acertou o time. O pedido de tempo surtiu efeito. Aos 11min27, após bela jogada individual, o jovem ala Canabarro empatou a partida. Menos de cinco minutos depois, Augusto desviou um chute na diagonal e virou o placar – 2 a 1.
Sem perder tempo, Cigano, treinador do Atlântico, também pediu tempo e, mais uma vez, a paralisação resultou em gol. O pivô Japonês concluiu com precisão para assinalar o segundo tento do time da casa.
Indiferente com o empate e a pressão da torcida local, o Umuarama se lançou ao ataque e chegou ao terceiro tento antes mesmo do intervalo – gol do camisa 13 Rubinho, quando restavam vinte e três segundos para o encerramento da etapa.
A partida continuou movimentada no segundo período. Precisando da vitória para levar o jogo pra prorrogação, o representante gaúcho adiantou a marcação e chegou ao empate. Após cobrança de lateral do ala Jackson, Alexandre, completamente livre de marcação, marcou o terceiro do Atlântico.
O gol incendiou o confronto. Restando cinco minutos para o apito final, os comandados do técnico Cigano foram para o tudo ou nada e por pouco, muito pouco, não levaram o jogo para a prorrogação. Nos segundos finais, Jackson ainda carimbou a trave paranaense, mas já não havia tempo para mais nada. Resultado final, 3 a 3, Umuarama classificado.
O ala Rubinho, de 25 anos, analisou o duelo. “Começamos um pouco perdidos em quadra, mas melhoramos e acertamos a marcação, o que foi fundamental para o resultado final. Mais uma vez nossa equipe mostrou sua força. Enfrentamos um adversário muito qualificado, mas prevaleceu nossa garra”, disse o autor do terceiro gol paranaense.

Fonte: www.futsaldobrasil.com.br
Abraço.